Cases

•    Mudanças que causam impacto positivo no UDI Hospital.

O sucesso alcançado na UDI foi o resultado de um trabalho integrado das empresas Philips, HQS e UDI.

Com o crescimento eminente e a necessidade de um sistema capaz de atender à sua estratégia de ascensão, o UDI Hospital buscou no mercado um sistema que se adequasse às suas reais exigências, como suporte global, segurança do paciente e que atendesse às certificações pelas quais o hospital estava passando.

Após análise criteriosa e várias reuniões entre o hospital e a equipe técnica, escolheram o Tasy, devido à confiabilidade e robustez da aplicação. Como o sistema Tasy é integrado e abrangente, puderam concentrar suas necessidades em um único aplicativo/fornecedor, eliminando os sistemas satélites e simplificando a administração da malha de software do hospital.

O sucesso alcançado na UDI foi o resultado de um trabalho integrado das empresas Philips, HQS e UDI, ressaltando o alto nível de comprometimento das equipes de consultores e usuários, que não mediram esforços para atingirem o objetivo de implantar o Tasy.

Leia a reportagem completa: Revista_Healthcare IT 3ª

 

•    Noah Unifica Comunicação

Noah unifica Comunicação com wi-fi e rede cabeada

O Noah Gastronomia, empresa do Grupo Chieko Aoki focada em gastronomia e eventos, está operando uma nova estrutura de redes híbridas, compreendendo conexões cabeadas em associação com a tecnologia wi-fi, para apoiar o trabalho dos seus colaboradores e o atendimento aos clientes.

O objetivo da combinação é oferecer flexibilidade para as operações, unificar o gerenciamento e garantir segurança máxima para os dados.

A plataforma montada interliga pontos da empresa situados em distintas localidades da cidade de São Paulo: cinco restaurantes abrigados em hotéis da Rede Blue Tree, o espaço de eventos Villa Noah e uma unidade na filial Anália Franco do Hospital São Luiz.

Em projeto executado pela HQS, o Noah implementou as soluções da Aruba, que conectam todo esse conjunto de pontos em uma rede cabeada e wireless (sem fio).

No sistema de comunicação empregado anteriormente, conta Claudio Gonsalves, gestor de TI do Noah, as maiores dificuldades se davam no gerenciamento e na falta de segurança. Havia, então, duas empresas que administravam a operação do ambiente: uma cuidava da rede wi-fi (ancorada em roteadores da Linksys), enquanto a outra ficava a cargo dos firewalls nas unidades.

A questão era que não havia uma integração adequada na execução das duas tarefas. “A rede sem fio, com isso, não oferecia o nível de segurança necessário, o que impossibilitava o tráfego de informações corporativas por ela”, explica ele.

Para superar esses entraves, a partir de novembro do ano passado foi posto em marcha o projeto de renovação, com a HQS encarregando-se do desenho da nova rede, além da instalação e configuração dos equipamentos e softwares da Aruba Networks: APs (Access Points – Pontos de Acesso) em todas as unidades e dois controllers em pontos centralizados para a monitoração geral do tráfego.

Em janeiro, foi realizada a migração do software de gestão TecFood, da Teknisa, bem como da base de dados Oracle (que ficavam no espaço Villa Noah), para o data center da Locaweb, parceira da HQS. A migração ocorreu de forma totalmente transparente para os usuários e com nenhum impacto no ambiente de produção.

Em termos de resultados, a adoção da plataforma Aruba permitiu, em primeiro lugar, que se trafegassem todos os dados com facilidade e segurança, visto que os colaboradores passaram a acessar a rede de modo transparente, a partir de qualquer unidade do Noah. “Um colaborador em trânsito, por exemplo, pode trabalhar com seu notebook em qualquer ponto sem incomodar os usuários locais”, exemplifica Gonsalves.

Do ponto de vista da gestão, uma nova estrutura permitiu que o Noah passasse a dispor de recursos avançados para monitorar e controlar pró-ativamente toda a operação. “A administração é centralizada a partir de um único equipamento, com as políticas de acesso e segurança sendo replicadas para todas as unidades”, salienta Wagner Hiendlmayer, responsável pelo projeto na HQS.

Além dos acessos protegidos, cada filial também conta com redundância no link de comunicação, propiciando um elevado nível de disponibilidade ao sistema. Outra vantagem importante trazida pela nova infra-estrutura vem da facilidade de instalação de pontos de acesso adicionais. Se, por exemplo, o Noah precisar abrir mais unidades de negócio, os equipamentos podem ser instalados e acionados em até 60 minutos, nos cálculos de Gonsalves.

Ainda segundo o executivo, a ótima relação custo-benefício também se evidencia no fato de que não houve nenhuma aquisição de hardware. A empresa simplesmente firmou contratos pelos quais paga duas mensalidades: pelo uso da plataforma e pelos serviços de data center. “Trata-se, por tudo isso, de um sistema 100% aderente às nossas necessidades de negócio”, resume o gestor de TI do Noah.

 

•    Hospital Santa Paula: gestão integrada com o Tasy

A trajetória do Hospital Santa Paula merece respeito. Iniciou suas atividades em 1958, em um pequeno imóvel na avenida Santo Amaro, zona sul de São Paulo. Passadas quatro décadas, a instituição tem hoje 14 mil metros de área, abriga seu próprio Instituto de Oncologia e, além de realizar exames e atendimentos de alta complexidade, também está apto a realizar transplantes renais, hepáticos e de medula óssea. Um exemplo de crescimento e seriedade no segmento médico, reconhecido inclusive publicamente com prêmios como o Top Hospitalar.

As atividades no Santa Paula tem o ritmo acelerado em função de sua capacidade de atendimento. Para citar alguns números, são cerca de 8 mil pacientes por mês passando por seu pronto-socorro e 30 cirurgias por dia. Sua equipe é formada por cerca de 600 funcionários diretos e 200 terceirizados. Para gerir tudo isto, contou com a HQS e a Philips Clinical Informatics na implantação do Tasy, sistema especializado em gestão hospitalar que integra informações de todas as áreas: do corpo médico, enfermagem, recepção e UTI até o nível diretivo que, agora, tem controle total e online de tudo o que acontece dentro da instituição.

“Contratamos todos os módulos do Tasy e obtivemos vantagens que o sistema anterior não ofereceria. Somente para citar algumas delas, conseguimos integrar todo o estoque em um único sistema com controle via código de barras e gestão dos níveis de estoque online; ganhamos agilidade na área de faturamento, pois os lançamentos são feitos nas próprias unidades e diversos outros são configurados para créditos conforme regras comerciais, reduzindo significativamente o índice de glosas; a recepção tem total controle sobre a gestão de leitos, o que antes era feito manualmente em planilhas excel; e ganhamos a segurança de que as informações são colocadas no sistema uma única vez com a garantia de sua integridade”, enumera Alexandre Dias Freitas de Jesus, Diretor de Tecnologia do Hospital Santa Paula.

Cerca de 40 funcionários e 50 médicos já foram instruídos na utilização do sistema – nos próximos meses, toda a equipe do hospital passará pelo treinamento. Atualmente, por exemplo, os médicos já treinados lançam no Tasy a solicitação de medicamentos, o que antes era feito por meio de um escriturário, ou seja, um funcionário contratado para transcrever no sistema a solicitação que era passada por escrito. “Neste e em outros aspectos o Tasy nos garante muito mais agilidade no atendimento. Além disso, conseguimos obter relatórios de gestão online e em tempo real. Em segundos, sabemos quais procedimentos estão sendo realizados, os resultados de cada atendimento, os medicamentos mais utilizados e os mais devolvidos, estatísticas de ocupação de leitos e muitas outras informações, tudo a centralizado em um único sistema”, completa o Diretor de Tecnologia.

Para visualizar o material impresso Clique aqui Case Hospital Santa Paula

 

•    Golden Cross: ERP proporciona ambiente corporativo unificado

A parceria de longa data entre a Golden Cross e a HQS, iniciada em 2001, ganhou ainda mais corpo com a virada de vários projetos realizados a partir de 2008. Já está concluído o upgrade do módulo Financeiro para a versão 8.9 e todo o RH foi reimplantado, já na versão 9.0. Além disso, a empresa adquiriu Compras, Estoque e Ativos Fixos.

A meta principal da operadora de planos de saúde é promover a melhoria de seus processos internos. Buscamos oferecer um ambiente corporativo unificado e, com ele, consolidar uma gestão mais eficiente e participativa das áreas, explica Luiz Beraldo Leal Reis, Gerente de Desenvolvimento de Sistemas da Golden Cross.

Os aplicativos foram implantados na sede da empresa, localizada no Rio de Janeiro, mas os benefícios se estenderam à completa rede de filiais espalhadas pelo Brasil. Nossa administração é centralizada, mas na nossa operação não temos unidades em diversas capitais do País. Estas melhorias tecnológicas vão afetar positivamente todos os braços da empresa, que ganharão mobilidade e rapidez em nossos processos internos.

Os funcionários usufruem do novo sistema, não apenas pelas facilidades operacionais, como também pela criação de uma nova ferramenta de comunicação o Portal do RH. Com todas as melhorias tecnológicas, certamente geraremos, também, uma grande economia. Adquirindo o módulo de Compras, por exemplo, criamos um workflow que nos garante total controle de cada aquisição e, desta forma, obter a melhor performance desta área. Este é um assunto especialmente importante para a Golden Cross, uma vez que nós compramos medicamentos e materiais hospitalares para atendimento aos associados de alto custo, explica Beraldo.

Passo a passo

O primeiro passo do projeto foi a estabilização do ambiente tecnológico: falhas de performance foram corrigidas e, simultaneamente, ele foi preparado para o upgrade do módulo Financeiro, segundo o Gerente de Projeto da HQSEvair de Assis Neto. Os erros ocorriam principalmente em função da grande quantidade de customizações que foram realizadas no passado. Agora, a empresa substituiu a maioria delas por funcionalidades originais do sistema, o que reduz significativamente a probabilidade de falhas, explica.

A decisão pela reimplantação de todo o RH partiu da própria operadora de saúde. Ele estava sendo subaproveitado, pois era utilizado apenas para integrar o banco de dados de funcionários com nosso sistema de Folha de Pagamento, afirma o gerente da Golden Cross. Mesmo neste aspecto a empresa não estava satisfeita: havia muitas limitações de utilização das funcionalidades em função de gaps gerados pela incompleta integração entre os dois sistemas. Agora, com o módulo completo e em operação, o RH ganhou novos recursos e rapidez nos processos. Avaliação de Desempenho, Recrutamento e Seleção e outras atividades do departamento agora estão sistematizadas. Além disso, eliminamos um volume incrível de documentos impressos: agora tudo é realizado de forma automatizada e organizada, e as informações estão disponíveis a todas as áreas envolvidas em cada processo, afirma Beraldo.

Doze profissionais da HQS trabalham no projeto, que deve se estender até outubro de 2009, quando será entregue o último módulo contratado (Ativo Fixo). Devido à baixa demanda de customizações, a Golden Cross sai ganhando em dobro. Utilizando as funcionalidades originais, a empresa está menos sujeita a falhas sistêmicas. Além disso, o custo de manutenção do sistema e também de implantação de projetos futuros sofre uma significante redução, finaliza Assis Neto.

Para visualizar o material impresso clique aqui Case Golden Cross

 

•    • Golden Cross: integração de sistemas e padronização de processos com ERP PeopleSoft

A HQS está comemorando o sucesso do projeto de modernização de TI Golden Key, que a empresa ajudou implantar na operadora de planos de saúde Golden Cross. Através do Golden Key, a Oracle conseguiu alinhar todos os seus sistemas de TI à estratégia do negócio e integrou os ambientes legados de TI com os novos recursos de gestão da plataforma Peoplesoft 8.9, da Oracle.

A solução da Oracle é composta por mais de 100 aplicações e inclui os módulos de CRM (Customer Relationship Management), Supply Chain Management (gestão da cadeia de suprimentos), HCM (gestão de capital humano) e Financial Management (gestão financeira), além de outras aplicações industriais. Desta forma, o alinhamento ajudou a Golden Cross a integrar quase 100% de suas áreas, incluindo o Contact Center, que reduziu em 30% o tempo médio de atendimento; e a área de contas a pagar, que integrou os sistemas de folhas de pagamento, compras, estoques e ativo fixo.

O módulo de gestão da área de recursos humanos ajudou na administração de ações de desenvolvimento da força de trabalho, administração de benefícios, entre outros. Hoje, seus 1400 colaboradores são avaliados pela ferramenta e têm um contrato de metas definido e registrado. Além disso, a Golden Cross conseguiu acabar com os processos manuais utilizando workflow inteligente, e diminuir o tempo despendido em todo o processo de gestão de capital humano, que passou a ser automatizado.

Após a implementação, a Golden Cross manteve o contrato com a HQS para suporte e projetos de evolução. Entre os movimentos da área de TI, vale destacar a migração de dados e treinamento da matriz no Rio de Janeiro para as demais regionais no Brasil. Isto permitiu a padronização dos processos em todos os pontos de atendimento.

“O processo de renovação de TI da Golden Cross é um dos melhores exemplos de estratégia evolutiva, no qual todos os ativos de tecnologia pré-existentes são explorados até o limite da eficiência, de modo a equilibrar a necessidade de evolução com as melhores práticas de investimento”, afirma Mendel Sanger, sócio-diretor da HQS.